Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
page
post
aplicaciones

Ozono e equipamentos de luz ultravioleta: São eficazes para combater a COVID-19? O Ministério da Saúde responde.

 

O atual contexto de pandemia pela COVID-19 ocasionou um incremento das necessidades de desinfeção em todo o tipo de estabelecimentos e superfícies. Perante a abertura deste novo mercado, algumas empresas oferecem equipamentos e serviços de desinfeção baseados em luz ultravioleta ou ozono. Mas serão seguros para as pessoas e para eliminar o SARS-CoV-2?

O Ministério da Saúde de Espanha emitiu em julho de 2020 uma nota[i], com base num relatório de revisão das evidências disponíveis sobre a eficácia e segurança da desinfeção com luz ultravioleta e/ou ozono no âmbito sanitário. Este relatório sugere que ambos os dispositivos podem reduzir a população de vírus em superfícies. Porém, o documento indica que “não se encontrou evidência sobre a eficácia e segurança da desinfeção de SARS-CoV-2 com dispositivos de radiação com ultravioleta ou ozono”.

Concretamente, em relação às radiações UV-C, nesta mesma nota, o Ministério da Saúde conclui o seguinte [sic]:

  • As Radiações UV-C não se podem aplicar na presença de pessoas.
  • Os aplicadores devem contar com os equipamentos de proteção adequados e de acreditar uma formação específica sobre os requisitos de segurança dos aparelhos ou equipamentos que utilizam radiações UV-C.
  • O uso inadequado destes equipamentos pode provocar possíveis danos para a saúde humana e dar uma falsa sensação de segurança. Não se recomenda o uso destes equipamentos ou dispositivos para uso doméstico.
  • O uso de lâmpadas de desinfeção UV para desinfetar as mãos ou outras zonas da pele não está recomendado, salvo seja clinicamente justificado.
  • Os instaladores profissionais das UV-C devem informar os clientes sobre o cumprimento da Especificação UN 0068 e dos principais aspetos relacionados com o uso seguro e a não superação dos limites de exposição.

No que respeita aos sistemas de desinfeção à base de ozono, o Ministério da Saúde adverte noutra nota informativa[ii] emitida em abril de 2020 que o ozono, [sic]:

  • Não se pode aplicar na presença de pessoas.
  • Os aplicadores devem contar com os equipamentos de proteção adequados.
  • Ao ser uma substância química perigosa, pode produzir efeitos adversos. No inventário de classificação da ECHA (Agência Europeia de Substâncias e Misturas Químicas) regista-se a classificação desta substância como perigosa por via respiratória, irritação de pele e dano ocular.
  • Deverá ventilar-se adequadamente o lugar desinfetado antes da sua utilização.
  • Pode reagir com substâncias inflamáveis e pode produzir reações químicas perigosas em contacto com outros produtos químicos.

Segundo o Ministério da Saúde, as medidas recomendadas e mais eficazes para a prevenção de contágios por SARS-COV-2, continuam a ser a lavagem frequente das mãos, o uso de máscara, a distância social de segurança e a limpeza com desinfetantes devidamente registados e autorizados.

O Ministério da Saúde recorda que a comercialização e uso dos biocidas se encontra regulado pelo Regulamento (UE) nº 528/2012, além de pela normativa nacional. Neste sentido, “não se devem comercializar nem usar biocidas que não tenham sido expressamente autorizados e registados devidamente ou no seu caso notificados. Todos os biocidas comercializados devem conter substâncias ativas que, por sua vez, tenham sido aprovadas com antecedência ou que estejam em período de avaliação na União Europeia”.

O Ministério da Saúde de Espanha na sua página web tem publicada a lista de produtos avaliados e registados que tenham demostrado a sua eficácia virucida. Esta listagem atualiza-se periodicamente, em função da aprovação de novos produtos.

Nesta lista, Proquimia conta com várias referências autorizadas e eficazes para combater a COVID-19.

Referências bibliográficas:

[i] Ministério da Saúde, Governo de Espanha. Nota Sobre o Uso de Produtos que Emitem Radiações Ultravioleta-C Para a Desinfeção da COVID-19 E. 2020. https://www.mscbs.gob.es/profesionales/saludPublica/ccayes/alertasActual/nCov/documentos/COVID19_Nota_sobre_el_uso_de_UV-C.pdf. Consulta 19 out 2020.

[ii] Ministério da Saúde, Governo de Espanha. Nota Sobre o Uso de Produtos Biocidas Para a Desinfeção da COVID-19. 2020. htps://www.mscbs.gob.es/profesionales/saludPublica/ccayes/alertasActual/nCov/documentos/Nota_sobre_el_uso_de_productos_biocidas._27.04.2020.pdf. Consulta: 19 out 2020.

 

[button link=”https://www.proquimia.com/pt-pt/contato/#.X-nXUthKg2w” class=”boto”]Mais informação[/button]

Você quer mais informações?
Te ajudamos

De acordo com o Regulamento 2016/679 (GDPR), fornecemos-lhe informação básica sobre proteção de dados pessoais:
-Responsável pelo tratamento: PROQUIMIA, S.A.
-Finalidade do tratamento: Gerir o envio de informação, resolver consultas e/ou recolher dados para possíveis relações comerciais.
-Legitimação: Consentimento do titular dos dados
-Destinatários: Não serão cedidos dados a terceiros, salvo por obrigação legal.
-Direitos: Acesso, retificação, eliminação, oposição, limitação, portabilidade e apresentação de queixas.
-Informações adicionais: pode consultar informações adicionais e detalhadas sobre Proteção de Dados no nosso site: Política de privacidade