Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
page
post
aplicaciones

Lavagem de roupa a baixas temperaturas

Introdução

A crescente consciência da sociedade sobre a necessidade de conservar o nosso planeta está a conduzir a importantes mudanças de hábitos, com vista a uma utilização mais responsável e sustentável dos recursos disponíveis. O elevado consumo de água e energia associado às nossas práticas diárias contribui significativamente para o impacto ambiental, utilizando quantidades insustentáveis de recursos naturais e gerando a emissão de poluentes atmosféricos (CO2).

Os processos de lavagem de roupa são grandes consumidores de água e energia, pelo que o desenvolvimento de novos sistemas de lavagem concebidos para funcionar a baixas temperaturas terá um efeito importante na redução do impacto ambiental.

 

“Se todos os habitantes da Europa reduzissem a temperatura média de lavagem da roupa em apenas 3ºC, economizar-se-ia a eletricidade anual equivalente ao consumo de uma população de mais de 300.000 habitantes”.  (1)

Processo de lavagem de roupa

A lavagem da roupa é o processo de limpeza em que o objetivo é remover eficazmente a sujidade que adere aos tecidos.

lavagem_roupa_baixas_temperatures Num processo de lavagem, a remoção de sujidade é conseguida através da combinação e otimização dos quatro fatores seguintes, que influenciam diretamente o processo de limpeza: Ação Química, Ação Mecânica, Temperatura e Tempo. Estas quatro variáveis estão esquematizadas no diagrama de Sinner.

Segundo o diagrama Sinner, para um determinado processo de limpeza, quando uma das quatro variáveis é modificada, deve ser compensada pelas outras, a fim de manter resultados de limpeza equivalentes.

A temperatura é, portanto, um dos parâmetros fundamentais do processo de lavagem, não só influenciando a detergência, mas também muitos outros efeitos associados:

VANTAGENS DESVANTAGENS
  • Enfraquece as forças de aderência entre a sujidade e a superfície.
  • Facilita a humectação.
  • Reduz a viscosidade de gorduras e óleos, facilitando a sua remoção.
  • Elimina os microrganismos.
  • Ativa os agentes químicos oxidantes.
  • Aumenta o custo energético da lavagem.
  • Pode alterar as características dos tecidos.
  • Produz efeitos de encolhimento em algumas fibras.
  • Pode causar descoloração em corantes não resistentes.
  • Aumenta o risco de formação de incrustações calcárias.

 

Nos processos de lavagem da roupa, a forma mais recomendável para compensar a diminuição da Temperatura é modificar a variável Ação Química, utilizando detergentes especialmente desenvolvidos para trabalhar a baixas temperaturas. Por outro lado, não é recomendado intensificar a Ação Mecânica (rotação do tambor, fricção antes da lavagem na máquina, …), já que sendo excessiva, pode alterar as características dos tecidos, deteriorando a sua aparência (perda de cor, geração de frizz) e encurtando a sua vida útil, nem o Tempo, de modo a não reduzir a eficácia do processo.

Lavagens a baixa temperatura

A necessidade de reduzir o consumo de energia associado ao processo de lavagem da roupa levou ao desenvolvimento de novos sistemas de lavagem, capazes de remover a sujidade a baixas temperaturas, em ciclos curtos de lavagem, com o menor consumo de água e oferecendo a máxima proteção do tecido.

Estes sistemas de lavagem são baseados em produtos detergentes enzimáticos, combinados com agentes branqueadores especialmente desenvolvidos para trabalhar a baixas temperaturas.

Detergentes enzimáticos

Os Detergentes enzimáticos incorporam enzimas que atuam como catalisadores na remoção de sujidade de origem biológica, tais como sangue, leite, ovos, molhos, entre outros. Facilitam a rotura destas moléculas de sujidade em fragmentos menores e mais solúveis, que são mais fáceis de remover no banho de lavagem.

As enzimas mais utilizadas nos detergentes para roupa são:

  • Proteases: Enzimas que atuam especificamente contra manchas de origem proteica. Por exemplo: sangue, carne ou erva.
  • Amilases: Enzimas que atuam especificamente contra manchas de amido. Por exemplo: batata, arroz, massa ou papas de aveia.
  • Lipases: Enzimas que atuam especificamente contra óleos e gorduras de origem vegetal e animal.
  • Mananases: Enzimas que atuam contra manchas de chocolate, espessantes, molhos, entre outros.
  • Pectinases: Enzimas que atuam contra manchas de tomate, banana, iogurte, etc.

Além disso, são também utilizadas Celulases, que atuam sobre as fibras de algodão para melhorar o grau de brancura dos tecidos e eliminar a formação de “peeling”.

Assim, para além do efeito específico e seletivo no tipo de sujidade para o qual são concebidas, as enzimas permitem obter um efeito sinérgico ao nível do detergente primário e secundário, melhorando a remoção de outros tipos de manchas de origem muito diversa.

Agentes branqueadores de baixa temperatura

Os agentes branqueadores são compostos químicos oxidantes que atuam eficazmente contra manchas sensíveis à oxidação, tais como vinho, chá ou café, e também melhoram a brancura dos tecidos (especialmente para os têxteis de algodão). Além disso, a sua elevada capacidade oxidante proporciona um efeito antibacteriano, reduzindo a carga de microrganismos e garantindo a máxima higiene dos tecidos.

O cloro (hipoclorito de sódio – lixívia) tem sido historicamente um dos branqueadores químicos mais utilizados, e ainda é muito utilizado, devido ao seu baixo custo e ao seu grande poder branqueador a baixas temperaturas. Contudo, o cloro tem grandes inconvenientes; só é aplicável na roupa branca e, devido ao seu elevado poder oxidante, é particularmente agressivo para os tecidos, reduzindo a sua vida útil. Como alternativa ao cloro, a oxidação por meio de peróxido de hidrogénio (água oxigenada) tem sido amplamente utilizada para roupa de cor, mas só é eficaz a temperaturas superiores a 70ºC, e com um elevado custo energético associado.

Em resposta à tendência crescente de lavagem a baixa temperatura, foram desenvolvidos nos últimos anos novos agentes branqueadores, ativos a baixas temperaturas (cerca de 40º-50ºC), tais como: Ácido Peracético, Percarbonato de Sódio (ativado com TAED) ou Ácidos Peracéticos Orgânicos (tais como ácido ftaloimidoperoxi-hexanóico -PAP-). Todos eles permitem obter excelentes resultados de branqueamento e remoção de manchas a baixas temperaturas, garantindo a máxima proteção do tecido e proporcionando um efeito antibacteriano extra ao processo de lavagem.

 

Agentes-branqueadores-de-baixa-temperatura

Conclusões

A necessidade de reduzir o consumo de energia associado ao processo de lavagem da roupa levou ao desenvolvimento de novos sistemas de lavagem capazes de remover a sujidade a baixas temperaturas, em ciclos de lavagem curtos, com o menor consumo de água e oferecendo a máxima proteção do tecido.

Para manter o nível de detergência do processo, a redução da temperatura foi compensada pelo desenvolvimento de detergentes especificamente formulados para trabalhar a baixas temperaturas, com base na combinação de tecnologia enzimática e novos agentes branqueadores oxigenados, que trabalham em sinergia num ciclo de lavagem de modo a atingir o nível máximo de detergência e restaurar o grau original de limpeza e higiene dos tecidos.

 

Referências bibliográficas:

(1) https://iprefer30.eu/

Você quer mais informações?
Te ajudamos

De acordo com o Regulamento 2016/679 (GDPR), fornecemos-lhe informação básica sobre proteção de dados pessoais:
-Responsável pelo tratamento: PROQUIMIA, S.A.
-Finalidade do tratamento: Gerir o envio de informação, resolver consultas e/ou recolher dados para possíveis relações comerciais.
-Legitimação: Consentimento do titular dos dados
-Destinatários: Não serão cedidos dados a terceiros, salvo por obrigação legal.
-Direitos: Acesso, retificação, eliminação, oposição, limitação, portabilidade e apresentação de queixas.
-Informações adicionais: pode consultar informações adicionais e detalhadas sobre Proteção de Dados no nosso site: Política de privacidade